Acelere a entrega da operação com o poder da Infraestrutura Ágil

Irei falar neste artigo sobre o poder da Infraestrutura ágil e como você pode acelerar a tua entrega de operações tratando infraestrutura como código. Este artigo mostra uma visão gerencial, não tratarei o uso das ferramentas ou como criar uma configuração. Em posts posteriores detalharei mais o assunto ao nível técnico.

Infraestrutura não é Ágil.

Muito se fala sobre DEVOPS nos dias atuais, porém, tenho visto nas empresas quando trata-se de DEVOPS focarem no DEV e esquecerem do OPS.

Este cenário, não é culpa das empresas em sí. O ponto que eu vejo é que a área de desenvolvimento, esteve à frente da área de operações.

Por exemplo, Manifesto Ágil surgiu em 2001, e a área de operações não se juntou à ele.

Enquanto cada vez mais a área de desenvolvimento se organiza para acelerar sua entrega, buscando deploy contínuo, a área de infraestrutura caminha(va) pelo lado contrário, buscando cada vez menos mudanças em seu ambiente.

E este pensamento vem da premissa que está sendo quebrada de que quanto menos mudanças você fizer no teu ambiente, menos chances de indisponibilidade você estará correndo.

Entretanto, uma revolução como a revolução industrial tem mexido na forma de trabalho das empresas. A era do conhecimento, que trouxe junto com ela toda revolução digital.

A era digital

Cada vez mais, o consumidor está se conectando ao mundo digital.

De acordo com um relatório publicado ainda em 2015 pela ONU, no mundo há 3,2 bilhões de pessoas com acesso à internet. Para se ter uma idéia, em 2000 tinhamos apenas 400 mil usuários, ou seja, a evolução de pessoas conectadas cresce cada vez mais.

E o que o cliente final espera das empresas ?

O consumidor digital busca maior interação com a marca, mas também exige mais de seu posicionamento no mercado, o que se caracteriza por novas demandas e novas oportunidades para as empresas

MCLUHAN, 1964, p. 23

Ou seja, cada vez mais, o cliente busca que a empresa entregue produtos de forma mais ágil e tenha mais interação com ele, saiba quem ele é, e quebre os paradigmas das formalidades. O cliente quer ter um relacionamento com a empresa, da mesma forma que se relaciona com um amigo próximo.

Deploy Contínuo e início de infraestrutura ágil

O desenvolvimento ágil foi cada vez mais evoluindo com o surgimento do manifesto ágil, e conseguindo atender à demanda do novo cliente digital. Tivemos grandes marcos, como por exemplo,  em 2005 o lançamento do GIT que acelerou a forma colaborativa de desenvolvimento, acelerando muito a entrega.

Ao mesmo tempo, um cara de operações (sysadmin) que sabia de programação iniciou a criação do PUPPET, a sua idéia era conseguir evoluir o “shell script” e fazer algo mais poderoso para a entrega da infraestrutura.

Em 2008, a VMWARE e outras empresas começam a investir pesado no Puppet, o que faz com que ele se torne um software de entrega de infraestrutura ágil, e a partir daí começa-se usar o termo Infra Ágil.

O ponto de ebulição vem com a conferência Agile em 2008 onde começou-se a mudar a forma de desenvolvimento em cascata para deploy contínuo.

DEVOPS DAY

Em 2009 durante a conferência Velocity da O’Reilly, John Allspaw e Paul Hammond citam pela primeira vez o termo DEVOPS, onde demonstram uma cultura que une Desenvolvimento, Operações e QA (irei falar mais sobre esta cultura em artigos posteriores).

Uma pessoa que assistiu a palestra ficou fascinada: Patrick Debois. ele resolveu criar uma conferência chamada DEVOPS Day. A partir daí o termo se expandiu mundo a fora e a área de operações começou a abrir a cabeça para entrega contínua e ágil.

Quebrando paradigmas – Deploy Contínuo na infraestrutura

O curioso da adoção da infraestrutura ágil, é que diferente do velho paradigma que diz que quanto menos deploy você fizer no ambiente maior o índice de disponibilidade, você ter uma comunidade de entrega contínua reduz drásticamente a chance de ter um problema em produção.

É o que comprova o estudo da PuppetLab chamado “State of Devops”. Eles entrevistaram ao longo dos últimos 5 anos mais de 25 mil profissionais e chegaram aos seguintes números:

  • Organizações de alta performance fazem até 200x mais deploys e reduzem em 2.555 x o lead time (tempo de entrega de um produto da sua concepção ao lançamento).
  • O tempo de recuperação de uma falha é 24x mais rápido e 3x menos chances de ter uma falha em mudanças.
  • Os times de alta performance diminuem em 50% vezes o tempo em que perdem com problemas de segurança no ambiente.
  • Outro ponto é que reduzem em 22% a perda de tempo com re-trabalhos. O que faz com que eles fiquem maior parte do tempo focados em entrega de novos produtos.

Conclusão

A adoção da infraestrutura ágil é uma das bases para você implementar DEVOPS em sua empresa.

Não adiantará você ter todo o desenvolvimento e qualidade entregando de forma contínua se não tiver a infraestrutura conseguindo suportar todos os novos deploys.

Ter o time de infraestrutura participando junto ao desenvolvimento na elaboração do produto, aumenta o engajamento dos teus funcionários para melhores entregas.